21 C
pt-BR
MTEC Energia

Opinião: como receber alimentos por aplicativos

Nos últimos anos, tem sido cada vez mais comum vermos entregadores de aplicativos como iFood, Uber Eats e Rappi circulando pelos condomínios residenciais para entregar alimentos e outros produtos diretamente na porta dos apartamentos. Essa prática tem gerado algumas discussões sobre a sua conveniência e segurança para os moradores e para os próprios entregadores

por Paulo Melo

A melhor situação pode depender de uma série de fatores, como a segurança da região em que o morador vive, a disponibilidade do morador para receber a entrega e as políticas do aplicativo de entrega em questão .

Em algumas situações, pode ser mais conveniente para o morador descer para pegar a encomenda do aplicativo, especialmente se ele mora em um local seguro e está disponível para receber a entrega no momento em que ela chegar. Isso pode economizar tempo para o entregador, que pode seguir para uma próxima entrega mais rapidamente.

No entanto, em outras situações, pode ser mais seguro e conveniente para o entregador deixar a encomenda na porta do apartamento ou em outro local designado pelo morador. Isso pode ser particularmente útil para moradores que têm dificuldades de mobilidade ou que não podem estar em casa para receber a entrega no momento em que ela chega.

De um lado, há quem defende que permitir a entrada de entregadores nos condomínios é uma forma de facilitar a vida dos moradores, que não precisam sair de casa para buscar suas encomendas. Além disso, a entrega direta na porta do apartamento pode evitar a aglomeração de pessoas na portaria e reduzir o risco de contaminação por doenças, especialmente em tempos de pandemia.

Por outro lado, há preocupações em relação à segurança dos moradores, já que a entrada de pessoas desconhecidas nos condomínios pode representar um risco de invasão ou furto. Alguns condomínios têm implementado medidas para controlar o acesso de entregadores, como cadastro prévio, uso de crachá de identificação ou acompanhamento por funcionários do prédio. No entanto, essas medidas nem sempre são suficientes para garantir a segurança de todos.

Além disso, há também preocupações em relação às condições de trabalho dos entregadores. Muitos deles trabalham em condições precárias, sem carteira assinada, seguro ou proteção contra acidentes. A entrada em condomínios pode ser vista como uma forma de aumentar o risco de acidentes ou de exposição a situações de violência.

Diante desses argumentos, é importante buscar um equilíbrio entre a acomodação dos moradores e a segurança dos condomínios e dos entregadores. Para isso, é necessário estabelecer regras claras e transparentes para o acesso de entregadores, garantindo que todos sejam registrados e identificados corretamente e que haja um acompanhamento adequado por parte dos funcionários do prédio.

As regras para o recebimento de comida e entregas por aplicativo no condomínio podem variar dependendo das políticas do próprio condomínio e do regulamento interno estabelecido pelos síndicos e moradores. No entanto, aqui estão algumas sugestões de regras que podem ser adotadas para garantir a segurança e o conforto de todos os moradores.

Notificar a portaria: os moradores devem sempre informar a portaria quando estão esperando uma entrega de comida ou encomenda por aplicativo. Isso permite que o entregador seja identificado e autorizado a entrar no condomínio.

Restringir horários: estabelecer um horário específico para as entregas de comida e encomendas por aplicativo, evitando horários que possam gerar incômodo para os demais moradores, por exemplo, depois das 22h ou antes das 6.

Também é importante que os aplicativos de entrega tenham condições adequadas de trabalho e segurança para seus entregadores, como a regularização do vínculo empregatício, seguro contra acidentes e proteção contra violência. Somente assim poderemos garantir que a entrada de entregadores em condomínios seja uma prática segura e justa para todos os envolvidos.

Em última análise, a melhor situação dependerá das regras do condomínio, da mobilidade do morador e das políticas de entrega do aplicativo em questão. É sempre importante avaliar a segurança e a decisão de cada condomínio em assembleia ou consulta pública condominial antes de tomar uma decisão.

*Paulo Melo é Jornalista, Adminsitrador e está Síndico e presidente do Instituto Nacional de Condomínios e Apoio aos Condôminos - INCC.
Postagens mais antigas
Postagens mais recentes

Postar um comentário

GDF