21 C
pt-BR

Desentendimento entre Promotor e Procurador em Academia de Condomínio termina em hospitalização: um caso que alerta para a necessidade de convivência harmoniosa

Uma briga entre um procurador e um promotor do Ministério Público de Minas Gerais, na academia de um condomínio de luxo, terminou com um deles hospitalizado, destacando a importância da convivência harmoniosa em ambientes coletivos

Foto: pedro Oliveira.

De acordo com o registro policial, o promotor Mario Konichi, de 51 anos, e o procurador Geraldo Ferreira, de 61, se desentenderam na sala de musculação. A confusão ocorreu na última terça-feira (25), no bairro Santo Agostinho, Região Centro-Sul de Belo Horizonte. Ambos relataram versões distintas do ocorrido, mas concordaram que a confusão começou após um falar mal do outro em uma reunião de condomínio.

O promotor Konichi afirmou aos militares que o procurador Ferreira foi tirar satisfações sobre a suposta fofoca na reunião com demais moradores. Ferreira teria chamado o promotor de "corno" enquanto debochava da sua estatura, e ameaçado dizendo que lhe daria "um tiro". Em seguida, ambos trocaram socos.

Já o procurador Ferreira alegou à polícia que o promotor o encarava com frequência, sem motivo aparente, e que Konichi o chamou de "zarolho". Ferreira sofreu escoriações após socos e mordidas e foi levado a um hospital particular da capital.

Em nota, a defesa do procurador Ferreira disse que "os socos e chutes (que resultaram em vários hematomas e escoriações); a mordida (que resultou em vários pontos cirúrgicos na mão esquerda); e o estrangulamento (que provocou fratura da cartilagem do pescoço), tudo praticado pelo vizinho, geraram risco à vida da vítima".

A Polícia Civil informou que o caso foi encaminhado para o próprio Ministério Público de Minas Gerais (MPMG). Em nota, o MPMG declarou que "não tem informação sobre o episódio mencionado, por se tratar de questão de foro pessoal dos envolvidos". O órgão esclareceu que Geraldo Ferreira é procurador de Justiça, mas não atua junto ao gabinete da Procuradoria-Geral de Justiça. Já Mário Konichi atuou na 18ª Promotoria de Justiça-Defesa dos Direitos Humanos, Apoio Comunitário, Conflitos Agrários, Fiscalização das Atividades Policiais da Comarca de Belo Horizonte até maio deste ano.

Segundo conhecidos da dupla, este não foi o primeiro episódio de atrito entre eles. Em 2018, eles brigaram por causa do posicionamento de uma câmera de segurança na garagem do prédio. Mario Konichi era síndico na época e Geraldo Ferreira questionou por que a câmera "apontava exclusivamente" para a vaga dele. Konichi comunicou todo o condomínio sobre o "questionamento ofensivo" do procurador, que negou qualquer tipo de insulto. Ferreira entrou na justiça por danos morais contra Konichi após essa divulgação da carta, mas a ação foi arquivada.

Paulo Melo, presidente do Instituto Nacional de Condomínios e Cidades Inteligentes (INCC), comentou sobre o incidente: "Como não escolhemos os nossos vizinhos, é importante ter respeito e tolerância. Todos os moradores de condomínios do Brasil deveriam passar por um treinamento sobre a vida em condomínio, pois essas brigas estão cada vez piores".



Dicas para Evitar Conflitos em Condomínios
  1. A convivência em condomínios pode ser desafiadora, mas alguns passos podem ajudar a evitar conflitos e promover uma atmosfera harmoniosa:
  2. Comunicação Aberta: Mantenha uma comunicação aberta e honesta com seus vizinhos. Discussões em assembleias e reuniões são oportunidades para resolver problemas antes que se tornem maiores.
  3. Respeito às Regras: Seguir as regras e regulamentos do condomínio é fundamental. Isso inclui respeitar horários de silêncio, uso das áreas comuns e normas de segurança.
  4. Tolerância e Empatia: Entenda que cada pessoa tem sua própria rotina e necessidades. A tolerância e a empatia são essenciais para uma convivência pacífica.
  5. Resolução de Conflitos: Ao enfrentar um problema, procure resolver a questão de maneira amigável. Mediar conflitos com a ajuda do síndico ou de um mediador externo pode evitar que a situação se agrave.
  6. Participação nas Assembleias: Participe ativamente das assembleias e reuniões do condomínio. Isso permite que você esteja ciente das decisões tomadas e possa contribuir para o bem-estar da comunidade.
  7. Treinamento sobre Vida em Condomínios: A sugestão de Paulo Melo sobre a necessidade de treinamento é pertinente. Cursos e palestras sobre convivência em condomínios podem preparar melhor os moradores para lidar com conflitos e melhorar a qualidade de vida no ambiente coletivo.
A briga entre o promotor e o procurador em Belo Horizonte serve como um alerta para a importância de uma convivência harmoniosa em condomínios. Respeito, comunicação e empatia são pilares essenciais para evitar conflitos e garantir um ambiente saudável e agradável para todos os moradores.
Postagens mais antigas
Postagens mais recentes

Postar um comentário

Comper