21 C
pt-BR

Taxa condominial no Brasil equivale a quase 45% do salário mínimo, aponta levantamento da uCondo

Pesquisa da startup de gestão condominial analisou 3.330 condomínios em todo o país

Foto: Renato Santos.

A uCondo, startup especializada em gestão de condomínios, revelou em um recente levantamento que a média da taxa condominial no Brasil é de R$ 634,24. Esse valor representa aproximadamente 45% do salário mínimo vigente, que é de R$ 1.412,00. A pesquisa abrangeu 3.330 condomínios de diversos estados brasileiros, evidenciando uma significativa variação nos valores das taxas, que podem oscilar entre R$ 72,00 e mais de R$ 6.000,00.

A disparidade nas taxas condominiais está ligada a fatores como localização, serviços oferecidos e tamanho do condomínio. "Os próprios moradores, em reuniões e convenções, também fazem escolhas que impactam na taxa. Vemos que o que mais pesa nas contas são as folhas de pagamento para funcionários fixos, como porteiros e zeladores. Se é algo que o condomínio não pode mais arcar, alternativas são criadas, como uso da tecnologia para liberação de entrada e saída de convidados ou recebimento de entregas, planejamento de manutenções pontuais e reparos previstos, tudo já contabilizado”, explica Léo Mack, cofundador e COO da uCondo.

Além disso, o custo condominial sofreu um aumento de 6,74% em 2023, conforme dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A inflação também impactou outros serviços essenciais, como a taxa de água e esgoto, que subiu 10,08%, agravando a situação financeira dos condôminos.

A inadimplência no pagamento das taxas condominiais atingiu um recorde de 24,04% em 2023, conforme dados da uCondo. Essa situação reflete a dificuldade financeira enfrentada por muitos brasileiros, com 72 milhões de pessoas em situação de inadimplência, segundo a Serasa. Quando os moradores não pagam as taxas em dia, os demais condôminos acabam arcando com o déficit, o que pode elevar ainda mais os custos mensais.

Para enfrentar esses desafios, Paulo Melo, presidente do Instituto Nacional de Condomínios e Cidades Inteligentes (INCC), destaca a importância de uma gestão eficiente das despesas. “Os gestores devem ficar atentos às despesas e tentar enxugar o condomínio ao máximo, ao mesmo tempo que é importante buscar outras fontes de receita para o condomínio, como publicidade, aluguel de espaços e aluguel para antenas”, afirma Melo.

Como calcular a taxa condominial
A taxa de condomínio pode ser fixa ou variável, dependendo do que for estipulado na convenção do condomínio. Para calcular a taxa condominial fixa, a gestão do condomínio realiza uma previsão orçamentária que define quais serão os gastos do condomínio nos próximos seis ou doze meses. A partir dessa previsão, é estipulado o valor que será cobrado mensalmente dos condôminos, adicionando uma taxa extra relacionada ao fundo de reserva. Já a taxa de condomínio variável, conhecida como rateio mensal, é cobrada a partir da soma das despesas do mês anterior.
Postagens mais antigas
Postagens mais recentes

Postar um comentário

Comper